Nujabes – Spiritual State

Cara, eu adoro Nujabes. Se não fosse por ele, minha curiosidade musical seria muito menor e eu não teria apreciação por músicas mais eletrônicas. Devo dizer que eu fiquei triste quando eu soube que ele morreu no começo de 2010.

Jun Seba (1974 - 2010) Rest In Beats

Mas eu fiquei muito surpreso quando eu descobri que lançaram um álbum póstumo dele, o Spiritual State (2011). Teve uma suposta música vazada alguns meses depois que ele se foi, mas ela é totalmente diferente do novo álbum. Aliás, ela nem está no álbum…

O álbum traz o que o Nujabes sabe fazer de melhor: a perfeita mistura de jazz com hip hop. Claro que não foi ele que finalizou o disco, mas da pra sentir que as pessoas encarregadas desse álbum, produtores e artistas da gravadora Hydeout Productions (que pertenceu ao Nujabes), se inspiraram na parte mais serena da música de Jun para criar um álbum que nos deixassem feliz pela obra e pelo legado de Nujabes.

Segue a famosa análise para cada faixa:

SPIRITUAL STATE: A faixa que mostra a serenidade do disco. Um bonito piano, uma percussão leve e uma bela participação do clarinete tocado por Uyama Hiroto.

SKY IS TUMBLING: Há uma influência mais forte de hip hop nessa faixa, como a batida e a participação do rapper Cise Starr. É uma faixa mais intensa comparado com a música Spiritual State. Parece que esta foi uma introdução para Sky Is Tumbling.

GONE ARE THE DAYS: Uma faixa com um ritmo mais latino, afinal Nujabes já usou samples de música brasileira em outros trabalhos. Uyama Hiroto também participa mas dessa vez com o seu sax.

SPIRAL: Essa faixa parece uma mistura dos instrumentos e estilo de Kumomi com a melodia de Another Reflection. Realmente uma faixa relaxante.

CITY LIGHTS: Um rap feito por Pase Rock e Substantial, velhos de guerra da Hydeout Productions. O rap é “cantado” de uma forma calma que combina com a harmonia da música.

COLOR OF AUTUMN: Apesar de ser uma faixa boa, fiquei um pouco decepcionada com ela pois achei que ela faria algum tipo de diálogo com Voice of Autumn. E ela tem menos de 2 minutos… ela merecia um pouco mais de tempo.

DAWN ON THE SIDE:Apesar da batida mais tendenciosa ao hip hop, ela consegue ser muito relaxante graças as melodias de violão e de flauta.

YES: Minha faixa favorita e a mais longa do álbum. A percussão de entrada é mais forte em relação ao que estava acostumado com o álbum até agora e o rap do Pase Rock parece (pa-re-ce) um pouco desajeitado, mas o refrão consegue ser tão simples e tão memorável ao mesmo tempo. E o piano está muito bom.

RAINYWAY BACK HOME: Traz muitas características de Nujabes mas com algumas coisas nova.

FAR FOWLS: Mais agitada que o resto do álbum, mas com uma instrumentalização que me lembra de Emancipator, também colega de Nujabes.

FELLOWS: Faixa com mais influências de hip hop do álbum, com scratches e samples curtos de piano.

WAITING FOR THE CLOUDS: Substantial mostrando o que ele sabe fazer. Uma faixa bonita graças ao seu piano.

PRAYER: Novamente mais caracterísitcas de Nujabes com coisas novas. A bateria é um pouco mais dura que o normal, o que parece não combinar tanto com as melodias de flauta.

ISLAND: Uma faixa que parece que saiu do álbum Modal Soul Classics II, álbum dedicado ao Nujabes. Acho uma faixa adequada para ser como a última.

Pra mim foi difícil analisar música por música, pois só consigo pensar esse álbum como um todo. Finalizando, o disco não tem aquele jeito único que o Nujabes tem, mas você sente sua influência nos músicos que trouxeram o Spiritual State como uma celebração da vida de Nujabes. Eles trouxeram um álbum belo, um álbum bom. Eles trouxeram o porquê que Nujabes será lembrado para sempre. Rest in Peace.

Esse post foi publicado em Constru-críticas e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Nujabes – Spiritual State

  1. William Herbert disse:

    Sei que escreveu isso há um tempão, mas obrigado, conheci Nujabes um ano e meio antes da morte dele, e chorei quando soube. Para mim a música dele é pura magia, me ajudou numa época merda da minha vida, e me ajuda agora, quando olho pra frente e vejo um mundo a ser conquistado, e um oceano de ações objetivas a tomar.

    Escuto bem menos música hoje em dia, e confesso que deixei a rotina me endurecer, escutar as belas canções novamente, e me entregar um pouco a essa onda, me faz mais terno e me permite encarar a vida mais suave. Mesmo que hajam poucas pessoas para dividir essa apreciação, agradeço, a você por gostar do cara e me lembrar do que é bom, e a ele por presentear minha vida com suas belas canções. Deixo a dica do álbum/homenagem Nujams, de Perry Porter.

    Como dito por milhares de fans, repito sinceramente triste e feliz como sua música:
    Nujabes Rest in Beats :’)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s